Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Coaching para Controlo de Peso

um blog para ler e aprender sobre uma ainda mais eficaz gestão de vida e do peso...

Coaching para Controlo de Peso

um blog para ler e aprender sobre uma ainda mais eficaz gestão de vida e do peso...

26
Jun07

Alimentação de Crianças

Madalena Munõz

Não é a primeira vez que a contacto e como os seus conselhos foram muito úteis, resolvi voltar a escrever.

 

O rapaz (...) tem crescido a olhos vistos (...) acho que tem umas gorduritas a mais na barriga, mas como ele faz [desporto] diariamente, fico sem saber que mais fazer a não ser “refilar” e tirar-lhe da mão, sempre que o vejo a comer batatas fritas, a repetir o pão com manteiga (...) O problema é que tem sempre fome e receio que agora nas férias, na casa dos avós, a coisa piore porque avós são avós... Tem alguma sugestão para me dar?

 

A irmã funciona ao contrário. Nos seus 7 anos e 1,35 de altura (dados de Março) pesa cerca de 33 kg  É mais de petiscar: um iogurte agora, uma banana mais logo, um pão dali por um bocado e as refeições são um suplício porque [é mais esquisita de boca].

Como mãe que todos os dias tem que preparar os almoços para levar para a escola vejo-me aflita para agradar às crianças e principalmente, alimentá-las bem. 

 

Tendo em conta as diferentes fases de crescimento de cada um, como poderei equilibrar as refeições de ambos?

Resposta:

 

Agradar a Gregos e a Troianos é sempre uma aposta perdedora. Escolha um menu somente, multi-partes, pois alguma das partes ele e ela hão-de gostar. Não faça algo para cada um, pois tenho clientes (mães) de 50-60 anos com filhos de 25 - 30 anos a quem até hoje se vêem na obrigação de cozinhar pratos diferentes consoante os gostos ou as manias (por ex. dietas...). Já para não mencionar o pai, que por vezes também exige pratos diferentes! Quase nunca há o devido apreço da família para tal esforço, fica a minha sugestão de não se porem as mães a jeito para esta situação (a não ser que haja uma forte razão).

 

 

Pelo que me diz os seus filhotes gostam de muitas escolhas até, o que é muito positivo.

 

Inclua os seguintes elementos nas principais refeições (almoço e jantares, sempre que possível em família):

  1. Uma fonte de proteína, tal como o peixe ou os feijões
  2. Uma fonte de hidratos de carbono, tal como arroz, batatas ou grão
  3. Uma hortícola, tal como cenoura ralada
  4. Pão
  5. Manteiga ou azeite
  6. Fruta

Com estes elementos pode montar várias refeições, tal como:

1 - Bacalhau cozido e desfiado com grão, salada ou legumes, e uma maçã.

2 - Caldeirada de Peixe – com peixe sem espinhas, tomate, pimentos, cebola e batata, e uma clementina do algarve.

3 - Frango estufado com ervilhas, cenoura e arroz, e uma pêra Rocha.

4 - Bolonhesa vegetariana - com soja desidratada, molho de tomate, cebola, coentros, servido com esparguete, e uma fruta da época. A soja desidratada é uma fonte de proteína (vegetal).

5 - Esparguete com almôndegas (podem ser de soja) ou douradinhos no forno, salada de tomate e cenoura ou brócolos ao vapor, e uma nectarina.

 

Tenha na mesa pão e manteiga ou azeite, porque se a criança não gostar de mais nada comerá algo tão simples quanto isso. Se decidiu servir sopa de legumes e a criança gostar, é mais uma opção. Pode servir leite, ou bebida de soja, para fortalecer a refeição e compensar a proteína que possa não ter comido. Contando com a sopa e com o leite, soma sete ou oito variedades e aposto que não considera isto nenhum esforço de super mulher!

 

 

Quanto à questão de "refilar" com o seu filho para ele parár de comer...

Os pais que limitam a quantidade de alimento a uma criança que ainda não está satisfeita, causam no seu filho um receio inapropriado e prejudicial: “terei eu suficiente que comer?” Em estado de alerta, a criança pode passar a comer demais sempre que puder (e isto é uma questão de tempo, por exemplo poderá manifestar-se - lá está - na liberdade da casa dos avós), e isso desregulariza o seu mecanismo interno de fome e saciedade, o que pode levar a que fique gorda ou obesa. Portanto, é a minha opinião profissional que deve CONFIAR no seu filho quanto às quantidades. O papel dos adultos, a meu ver, é de fornecerem boas escolhas alimentares, comerem à mesa com eles para as socializar, e regrarem as horas e os locais das refeições. Se cada lado fizer a sua parte, não haverá (tantas) bulhas :-)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Bem vindos!

Bem vindos ao maravilhoso mundo do coaching!
Coaching é acção acompanhada para rápidos resultados.


Questões sobre Life Coaching e marcação de sessões? Aqui

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D